Temporal de ilusões



Eu estou desolada
Imergida em palavras doces
No esconderijo das verdades
Bem no refúgio do engano

Fui envenenada pela ilusão
Intoxicada por versos mal feitos
Empeçonhada por risos sem dignidade
Envolvida em uma história abortada

Acreditei no êxito do sentimento
Esperei pelo desejo do “para sempre”
Almejei prazeres tão nossos
Entreguei-me quando deveria ter recuado.

Assassinei a minha realidade
Para viver um conto de fadas
Que com o passar das estações
Se tornou a fábula do insensato charlatão

E quando olho no espelho
Vejo refletir um ser indigesto
Que viveu um furacão de emoções
E terminou se afundando em um temporal de ilusões

FONTE: POESIA IMPULSIVA

0 comentários:

Postar um comentário