O desejar bem.


E ela estava ali, sentada entre as flores, no canto da praça  pensado na vida que teve, no amor que tinha dentro de si e nos sonhos que se frustraram. Tentei entregar-lhe um sorriso, mas o coração amargurado que transbordava dentro dela gritou para que eu não me aproximasse. Com toda a minha alma, eu quis levantar aquela moça do chão, mas ela não quis ajuda de nenhum alguém e, menos ainda, de mim. Não pela dor que  ela estava passando, mas pelo imenso orgulho que a amarrava, pois era eu que estava ali de mãos estendidas oferecendo o meu sorriso amigo, a pessoa que ela sempre desejou o mal.

0 comentários:

Postar um comentário