Ah, eu gosto!

Gosto de andar descalça dentro de casa mesmo quando estou doente. O frio do chão é gostoso e dá uma sensação relaxante. Mas gosto de dormir de meias. Sentir meus pés fofos como a cama, traz mais delicadeza à minha alma.

Gosto de cantar enquanto lavo as louças. O trabalho fica gostoso e vou te contar um segredo: O sabão desliza bem no ritmo que eu canto. É tão intrigante e maravilhoso e posso sentir minhas mãos sorrindo neste momento. Gosto tanto de minhas mãos!

E não posso deixar de falar o quanto gosto do vento na praia me trazendo um friozinho gostoso e da maresia que estraga todo meu cabelo arrumado e cheiroso. E isso não me estressa, me faz rir.


E gosto também de meu sorriso que sempre diz o que sinto, não importa se estou triste ou feliz, pois o meu sorriso não mente e me poupam as palavras. E quando ele poupa as palavras, muitas vezes poupa também as lágrimas.

Gosto de tudo em mim. Tudo mesmo. E dou todo o valor em cada pedacinho de mim que Deus criou, seja por dentro, seja de fora. E o que mais gosto é quando por dentro, Deus trata. Não há sensação mais confortante e segura. Você precisa experimentar isso!


E sabe, eu tenho que dizer também que gosto bastante de meus cabelos, mesmo querendo mudar algumas vezes. Ninguém sabe, mas eu sempre, sempre choroquando os corto, mesmo quando é somente as pontinhas, pois sempre levam um pouquinho mais.

Gosto, sim, de mim numa porção imensa, intensa... Tanto que digo que é amor, o tal do amor próprio que todo mundo tem que ter pra viver bem. E gosto disso, e também das coisas boas que me rodeiam, como a mágica de amar ao próximo, de ter aquela gostosa sensação de fazer o bem, de conseguir amar aquela pessoa que tenta te fazer o mal, de saber que ela na verdade, precisa do que você sente, que é a paz. E é isso o que eu quero dar, o amor que carrega a paz. E isso fica tão dentro de mim, que sai, transborda, e derrama ao meu redor.

Eu posso misturar tantas coisas que gosto, mas hoje quero expor apenas algumas nessas tantas poucas palavras, pois eu gosto mesmo é de sentir e fazer com que sintam também... mas sempre escrevo. Isso faz a teoria. Isso faz-me sentir mais.

E sentir, eu gosto. Gosto, gosto... Nunca desgosto!

Luciana Mira

0 comentários:

Postar um comentário