Onde estará ele?

Que há tanto tempo espero e anciosamente anseio abraçar?
Por onde andas, o inspirador dos versos que ainda são mudos, pela falta de sua suave voz...
Onde habitará o dono das cartas, das canções que um diz cômpus, e que ainda sussuro ao vento, na esperança que a doce brisa leve até onde ele está?

-Senhor, fazes com que nosso encontro aconteça, que nossas almas se cruzem e de imediato se reconheçam...

0 comentários:

Postar um comentário